sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Terás mais pó para tirar?

Teu texto está perfeito...no conteúdo e na forma....
Terás mais pó para tirar?????...é que adorei o resultado e nada como uma resposta desempoeirada e um rasgo da verdade mais pura e crua...para me obrigares a pensar...
É certo que o que escrevi antes, era uma forma de parodiar a minha fragilidade e a colecção de incertezas, sabendo de antemão que é assim mesmo, mas não gosto, ora pois.
Mas confesso que soube bem que alguém entrasse na minha sintonia, mais ainda quando  me dizes que dois passarinhos estão de acordo...aquece a alma.
Bem hajas!!!

Ana

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O livrinho de instruções



Ana:
Realmente, tens com cada uma....agora obrigaste-me a rebuscar na arca que tenho no sotão... para te responder. Olha, até gostei porque havia coisas que já tinham um certo pó em cima e eu gosto pouco de pó. Vamos a isto:


Bom dia....porque é mesmo bom dia
A noite foi má, houve uma tempestade, parecia que o céu ia cair aos pedaçinhos, depois surgiu o dia, com graça, com luz, até com passarinhos voando no decor do azul do céu... a vida voltou a florir, escutei os dois passarinhos em cima da chaminé do vizinho, se entendi bem eles tinham a mesma opinião


Clarezas na covinha da nossa mão
 Um caminho sem pedras não seria caminho seria tudo menos isso.
Não usando sapatos, também pedra não entra.
Vivemos com os pesos que queremos, a escolha é nossa, nem precisa de ter uma conta bancária para possuir tal tesouro. Uma vez fiquei quase nu, mandei tudo que tinha nos bolsos rio abaixo, e começei a cantar até uma flor me brilhar.
As asas são para subtituir de vez em quando, acima de tudo não podemos deixar de voar.
Somos uma folha ao vento, ter o desejo que ele sopre na tal direcção é querer demais, além disso esse desejo trás muita inquietação. Não sabendo antes a direcção podemos usar a nossa plena capacidade de improvisar no momento.
Há momentos em que a única atitude certa é estar quieta, imóvel, como uma folha, o vento irá sempre soprar novamente, qual é a pressa? Vai onde?
Somos donos do nosso próprio nariz, temos a força, o poder de seguir o caminho que desejamos. Devemos usar 200% dos poucos poderes que unicamente a nós pertencem. Confesso que eles embora poucos, podem ser bem poderosos.
Do cume da montanha podemos ver o vale em toda a sua plenitude. Mas também é a partir do vale que conseguimos ver bem a montanha.


Este livrinho que para ti escrevi faz parte do meu ser e do meu não ser.

Um beijinho de carinho

Teu amigo
João Francisco

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Eu não vim com livro de instruções


Bom dia...

Pois bem, o meu dilema de sempre...eu não vim com livro de instruções, o que é uma chatice...

Como evitar as pedras do caminho, ou despachar aquela que se  aninhou no sapato, como curar uma asa ferida, ou até as duas...como viver com um peso no coração, ou segurar a felicidade quando me envolve...vê-la partir e não poder fazer nada....

Parece que vivo como folha ao vento tentando desesperadamente que o vento sopre na direcção certa e ver-me obrigada a ir para o lado que não quero...ou pior...ficar pousada, porque ás vezes não consigo fazer nada, por mais que me tente mover, construir, criar, viver ser feliz!!!!
Como eu queria poder ser senhora de mim e ser um ser uno...mas não sou, dependo de tanta coisa...há que ser humilde.
(não quero!!!) 
Sei o que quero...a ousadia máxima de um ser humano...quero ser feliz!!!
Não tenho um caminho para lá chegar...há tantos!!!!....mas o destino teima em não me colocar em nenhum...ou se calhar estarei a olhar para o lado errado.
Mas onde estará o maldito livro de instruções??????
Ana

Uma vontade profunda

Hoje estou a sentir uma vontade profunda, Vontade profunda de TER alguém, Vontade profunda de partilhar, Vontade profunda de abraçar e poder amar.
Temos dias assim, Em que a nossa solidão nos aperta e comprime, Em que nos queremos libertar,Queremos ter alguém a quem poder dar...
É um sentimento profundo, Que nos aperta como quando amamos, É no entanto um vazio por não ter quem amar, É tão difícil perceber porque queremos tanto amar.
São momentos que queremos ultrapassar, Momentos em que estamos cheios para dar, Momentos em que não encontramos a  "TAL" pessoa a quem dar.
E continua esta vontade profunda, Vontade profunda de poder partilhar, Vontade profunda de abraçar e poder amar. Um dia...
Beijo
Ana