quinta-feira, 22 de abril de 2010

O Escorpião

Em um Blog agradável, encontrei um texto sobre astrologia o 'escorpião'. Gosto de astrologia e muita coisa ainda deve ser descoberto sobre o universo. É um meu signo, com ascendente Touro.
 Quem nasce no tempo de Escorpião recebe do céu um dom que, se não for bem compreendido e bem usado, pode ser fonte de muita perturbação: a capacidade de perceber a tensão que está dentro das coisas e que vai fazer elas mudarem. Ao contrário de Touro, que se encanta e se apaixona pelas coisas como elas parecem ser, Escorpião é atraído pelo mundo misterioso que existe por trás das aparências.


Sempre associado à morte, à violência, ao ciúme e à sexualidade exagerada, é talvez o mais mal falado de todos os signos. É possível que a má fama tenha vindo do fato de que, para os povos que criaram a astrologia, essa época do ano correspondia ao outono, o tempo em que a natureza ensina aos homens que morrer é natural. Mais do que natural, é necessário.


Por sua oposição ao signo de Touro, que simboliza a Primavera, Escorpião sabe que mesmo as coisas mais perfeitas e belas não vão ser perfeitas e belas para sempre. E pressente o que elas vão ser depois. Touro se encanta com a beleza das flores. Escorpião é apaixonado pelas sementes que só vão mostrar sua força depois da morte da flor.


Quem nasce com o sol em Escorpião vê o mundo e as outras pessoas com olhos de raio -X e isso às vezes cria problemas. Como imaginam que todo mundo pode ver o que eles veem, tendem a ser muito fechados. Criam uma verdadeira barreira em torno dos seus sentimentos, que são sempre muito intensos. Eles estão sempre “morrendo” de amor, “morrendo” de saudade, “morrendo” de rir, “morrendo” de raiva.


Mas quando a imensa energia desse signo misterioso encontra uma saída construtiva é que podemos avaliar a força de um Escorpião. Uma força como aquela que animou o sociólogo Betinho, o homem que fez da luta contra a morte pessoal um símbolo emocionante da grande luta coletiva contra a morte pela fome e pela miséria.


em IG Delas

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Intuição não pode ser explicada

Procuro a informção de qualidade dentro do possível. Não para me alimentar mas unicamente para crescer o interior e ajustar o que educadamente mas erradamente me foi 'educado'. Assim existem pessoas com muitos dons, cada um com seu. Osho foi uma pessoa dotada. Seu ensinamento me ajuda a acelerar o processo de crescimento interior através de clarificar muita coisa do nosso, meu, dia a dia. 
Por vezes salto de um tema (livro) para outro tema, deixando repousar um, abrindo a porta do outro. O tema Intuição - o saber além da lógica, é um livro pequeno que encontrei numa livraria em Curitiba. É dos mais fascinantes que já li neste contexto. Aqui algumas marcas.

A intuição não pode ser explicada cientificamente porque o fenômeno em si é irracional e não científico. O próprio fenômeno da intuição é irracional. Em termos coloquiais, parece certo perguntar: "A intuição pode ser explicada?" Mas isso quer dizer: "A intuição pode ser reduzida ao intelecto?" A intuição é algo além do intelecto, algo que não faz parte do intelecto, algo que vem de algum lugar onde o intelecto é totalmente inconsciente. Assim, o intelecto pode sentir a intuição, mas não pode explicá-la.
O salto da intuição pode ser sentido porque existe uma lacuna. A intuição pode ser sentida pelo intelecto - pode-se notar que algo aconteceu - mas não se pode explicar, porque a explicação precisa da causalidade. A explicação significa responder à pergunta de onde a intuição vem, por que vem, qual é a causa. E ela vem de algum lugar, não do intelecto propriamente dito - logo, não há causa intectual. Não existe uma razão, uma ligação, uma continuidade dentro do intelecto. 
A intuição é um campo de ocorrência diferente, que não se relaciona ao intelecto de maneira nenhuma, embora possa penetrar o intelecto. Deve-se entender que uma realidade superior pode penetrar uma realidade inferior, mas a inferior não consegue penetrar a superior. Assim, a intuição pode penetrar o intelecto porque ela é superior, mas o intelecto não pode penetrar a intuição porque ela é inferior. 
É exatamente como a sua mente poder penetrar o seu corpo, mas o seu corpo não pode penetrar a mente. O seu ser pode penetrar a mente, mas a mentenão pode penetrar o seu ser. É por isso que, se você entrar no ser, você terá de separar tanto do corpo quanto da mente. O corpo e a mente não podem penetrar um fenômeno superior.
Quando você ingressa numa realidade superior, o mundo de ocorrências inferior tem que ser deixado para trás. Não existe uma explicação do superior no inferior, porque os próprios termos da explicação não existem ali; eles não fazem sentido. Mas o intelecto pode sentir a lacuna, pode reconhecer a lacuna. Ele sente que "aconteceu algo que está além de mim". Se até mesmo esse termo puder ser feito, o intelecto terá feito muito.
Mas o intelecto também pode rejeitar o que aconteceu. É isso que significa ter fé ou não ter fé. Se você sente o que não pode ser explicado pelo intelecto não existe, você é um "não-crente". Então vai continuar nessa existência inferior do intelecto, atado a ele. Assim você recusa o mistério, não permitindo que a intuição se comunique com você.
Um racionalista é assim. O racionalista não vai nem mesmo ver o que surgiu algo do além. Se você é educado racionalmente, não admite o superior; você vai negá-lo, você vai dizer: - Não pode ser. Deve ser imaginação: deve ser um sonho meu. A menos que eu possa prová-lo racionalmente, não aceito. A mente racional se fecha, encerrada dentro dos limites da razão, e a intuição não pode penetrar. No entanto, você pode usar o intelecto sem ser fechado. Então, pode usar a razão como um instrumento, permanecendo aberto. Você está receptivo ao superior; se algo acontecer, estará receptivo. Então poderá usar o seu intelecto como um auxiliar.  Ele observa que "aconteceu algo que está além de mim". Ele pode ajudar a entender essa lacuna.
Intuição, Cultrix, isbn 978-85-316-0782-0.

domingo, 18 de abril de 2010

Ivete e Rosa

Ivete me supreende, mostrando aqui ao lado de Rosa Passos a sua qualidade. Duas lindas vozes que combinam.