sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Explicação da pele















Porquê a pele? - perguntou ela,
porque - respondo incrédulo -
É na pele que respira a poesia,
é na pele que a chuva fria arrepia...
é na pele que o sol queima e
onde o sal do mar teima,
é na pele que se sente a vida,
e ela, pouco convencida:
 - sim, amor, mas porquê a pele?
Porque é na pele que te amo,
te devoro sem engano...
é na pele que o sonho vibra,
é lá que dói a batalha perdida!!
Porque é na pele, minha querida,
que faço minha, a tua vida...
me confundo em ti, amor
e me misturo no teu suor...
Porque é na pele que sinto teu beijo,
nela vive o quanto te desejo...
Porque é na pele, meu amor,
que escrevo as letras da vida!!!

de Olivia Santos
(Poetry Café)

O que foi vivido jamais se perderá


Inicialmente, vemos qualquer novidade como mais uma diversão. Aos poucos, essa novidade passa a ser compreendida - e então esquecemo-la. No entanto, à medida que a esquecemos, ela penetra no nosso inconsciente, e faz-nos um pouco diferentes do que éramos antes.
Tudo o que já foi vivido por nós jamais se perderá. Não consigo pensar num fim para nada nesta Terra. Então, por que tentar entender o princípio?

(22 de Maio de 1920)
Kahlil Gibran 'cartas de amor do profeta'

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Máquinas

“Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.” 
Charles Chaplin.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Liberdade


A visão do Sr. Osho transcrita resultante de uma das palestras:

A liberdade é maturidade; a permissividade é muito infantil. A liberdade só é possível quando a pessoa é tão íntrega que pode tomar a responsabilidade de ser livre. O mundo não é livre porque as pessoas não têm maturidade. Os revolucionários têm feito muitas coisas ao longo dos séculos, mas todos falham. Os utópicos têm pensado continuamente em como libertar a humanidade, mas ninguém se importa, porque o homem não pode ser livre, um Mahavira, um Cristo um Maomé, um Zaratustra pode ser livre, porque liberdade implica ser consciente. Se o ser humano não for consciente, então o estado é necessário, o governo é necessário, a polícia é necessária, o tribunal é necessário. Então a liberdade tem que ser cortada em toda a parte. Então a liberdade existe apenas de nome; na realidade não existe. Como é que a liberdade pode existir quando os governos existem? É impossível. Mas o que fazer?